'Um passo para um homem, um salto para os evangélicos', diz Mendonça após aprovação para o STF

'Um passo para um homem, um salto para os evangélicos', diz Mendonça após aprovação para o STF
02 dezembro 12:00 2021 Imprimir notícia
Destaque Política

Aprovado no Senado para a vaga de ministro no Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça disse que a primeira coisa que fez foi agradecer a Deus. Evangélico, ele anunciou que sua aprovação significa um grande passo para a comunidade evangélica.

— É um passo para um homem, um salto para os evangélicos (...) Dei glória a Deus por essa vitória — afirmou, em pronunciamento à imprensa.

A fala pode ser interpretada como uma referência à frase “Um pequeno passo para um homem, um grande salto para a humanidade”, dita por Neil Armstrong ao pisar na lua, em 20 de julho de 1969.

No primeiro pronunciamento, Mendonça também agradeceu ao presidente Jair Bolsonaro pela indicação, ao Senado pela conclusão da votação, tanto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) quanto no plenário, e listou nomes de políticos evangélicos que o apoiaram no Senado. Entre eles estão o presidente da Frente Parlamentar Evangélica, Cezinha da Madureira (PSD-SP), a relatora da sabatina, Eliziane Gama (Cidadania-MA), e o senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO).

— Foi um processo longo, difícil, mas de muito aprendizado — disse Mendonça, que deixou o cargo de ministro da Advocacia-Geral da União (AGU) para angariar votos para a sabatina.

Conhecido como "terrivelmente evangélico", o ministro aprovado pelo Senado agradeceu a Deus e fez um grande aceno ao grupo, cercado pela família.

— Nós queremos dizer ao povo brasileiro que o povo evangélico tem ajudado esse país e que quer continuar ajudando esse país, trabalhar por esse país e fazer desse país uma grande nação, fazer da Justiça brasileira uma referência, fazer com essa realidade se concretize cada dia mais e, ao final, dar esperança ao nosso povo — declarou, numa espécie de "pregação".

Durante a sabatina, defendeu a autonomia do Congresso para decidir sobre prisão em segunda instância e disse apoiar o casamento civil entre casais homoafetivos. Apesar das declarações religiosas, reforçou a defesa do Estado laico e democrático.

Mendonça, que é a segunda indicação do presidente Jair Boslonaro ao STF, poderá ocupar a cadeira por 26 anos, até 2047. Antes de ser sabatinado para a função, enfrentou forte resistência no Senado, mas chegou a virar votos, necessários para fechar o placar, que foi o mais apertado dos últimos anos: foram 47 a favor e 32 contra no plenário.

Também esperou durante mais de três meses que o presidente da CCJ, Davi Alcolumbre (DEM-AP), pautasse a votação. O senador, ex-presidente da Casa, tinha a expectativa de que outro nome fosse indicado no lugar.

Antes disso, o jurista chefiou a AGU em duas ocasiões e subsituiu o ex-juiz Sérgio Moro, hoje pré-candidato à Presidência pelo Podemos, no cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública.

PORTAL  SBN |  COM INFORMAÇÕES DO O GLOBO 

Você acha que o presidente Jair Bolsonaro vence a eleição deste ano?

Não

Sim

Escreva 087 abaixo
Ver resultados

Deixe seu comentário

SIGA-NOS

Rádio Online

Rádio Online

Últimas Notícias

  • Bahia
  • Espírito Santo

Bahia

Espírito Santo

As mais lidas do mês

SIGA-NOS

Rádio Online

Rádio Online

Últimas Notícias

  • Bahia
  • Espírito Santo

Bahia

Espírito Santo

As mais lidas do mês