Atividade pesqueira sairá fortalecida, diz Paulo Fundão, sobre audiência de pescadores

Atividade pesqueira sairá fortalecida, diz Paulo Fundão, sobre audiência de pescadores
25 julho 11:53 2021 Imprimir notícia
Legislativo

A indústria da pesca, importante alavanca do crescimento da economia mateense tem, na avaliação do presidente da Câmara, Paulo Fundão, totais condições de se expandir no município, com a união dos pescadores e comunidades indenizadas pelo desastre da mineradora Samarco.

Na manhã de sexta-feira (23/07), Paulo Fundão marcou presença junto aos vereadores Adeci de Sena, Delermano Suim e Lailson da Aroeira, e a Presidente da Colônia de Pescadores Z13, Dona Glória, na Audiência Pública da Comissão dos Atingidos de São Mateus que teve como pauta principal a defesa dos direitos dos pescadores. 

Membros do consórcio Unilivre/USP, universidades que prestam assessoria técnica à Comissão dos Atingidos, participaram da audiência para expor os projetos que serão desenvolvidos para a geração de renda, abrangendo toda a comunidade pesqueira de São Mateus. O estudo será apresentado à Renova para liberação de recursos. Um dos programas em destaque atende os pescadores com a implantação da maricultura, voltada para a produção de mexilhões em alto mar, além de projetos de infraestrutura, um deles destinado a conter a erosão em Barra Nova.

Foi uma honra estar presente nesta audiência e receber o carinho de tantas pessoas, que sem dúvida nenhuma são de extrema importância para nossa cidade e de igual forma para o nosso dia a dia. 

Vejo com bons olhos o fortalecimento da atividade pesqueira, a partir das iniciativas dos pescadores, tecnicamente muito bem assessorados pela Universidade de São Paulo, a USP, e pela Universidade Livre do Meio Ambiente – Unilivre. É uma parceria que renderá bons frutos para ampliar a renda dos profissionais que vivem da pesca, vai ajudar suas famílias e contribuir consolidadamente para o desenvolvimento do nosso município”, prevê Paulo Fundão.

 

INDENIZAÇÕES

Todas as indenizações e auxílios financeiros emergenciais são pagos a partir da Fundação Renova aos atingidos pelo rompimento, em 2015, da barragem de Fundão, da mineradora Samarco, que atingiu toda a bacia do Rio Doce, em Minas Gerais e no Espírito Santo.

A Renova desembolsou R$ 4,12 bilhões em indenização e Auxílios Financeiros Emergenciais (AFE), totalizando 324 mil pessoas atendidas até o final de maio. 

As indenizações por meio do Sistema Indenizatório Simplificado continuam avançando. Em Minas Gerais e no Espírito Santo, os pagamentos alcançaram o montante de, aproximadamente, R$ 1,6 bilhão a 17 mil pessoas no final de junho. O valor pago chegou a R$ 926 milhões para 9,6 mil atingidos dos municípios capixabas de São Mateus, Linhares, Aracruz, Conceição da Barra, Baixo Guandu, Colatina e Marilândia. Já em Minas Gerais, as indenizações ultrapassaram R$ 662 milhões para 7,4 mil atingidos de 15 localidades do estado. Ao todo, 21 localidades mineiras estão inseridas no fluxo de pagamento de indenização. O prazo para adesão, válido para todas as localidades vai até dia 31 de julho.

Deixe seu comentário

SIGA-NOS

Rádio Online

Rádio Online

Últimas Notícias

  • Bahia
  • Espírito Santo

Bahia

Espírito Santo

As mais lidas do mês

SIGA-NOS

Rádio Online

Rádio Online

Últimas Notícias

  • Bahia
  • Espírito Santo

Bahia

Espírito Santo

As mais lidas do mês