facebook twitter youtube instagram telegram whatsapp linkedin
Portal SBN
Quarta, 20 de outubro de 2021, 16:15:21

Campanhas de vacinação contra Gripe e Sarampo tiveram baixa adesão alerta a Sesa

A menos de um mês para o fim da 24ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza e da 8ª Campanha Nacional de Seguimento e Vacinação de Trabalhadores da Saúde contra o Sarampo, a Secretaria da Saúde (Sesa) alerta para a baixa adesão dos grupos prioritários.
WhatsApp Telegram Facebook Twitter Linkedin
Saúde - Espirito Santo

A menos de um mês para o fim da 24ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza e da 8ª Campanha Nacional de Seguimento e Vacinação de Trabalhadores da Saúde contra o Sarampo, a Secretaria da Saúde (Sesa) alerta para a baixa adesão dos grupos prioritários, em especial aqueles que com metas vacinais a serem alcançadas. A baixa cobertura vacinal em crianças em ambas as campanhas é um dos destaques.

Mesmo com a antecipação da imunização no Espírito Santo e com a possibilidade de receberem as doses ao mesmo tempo, pouco mais de 18% da população infantil de seis meses a menores de 5 anos foi imunizada para Influenza e 17% contra o Sarampo. A expectativa, segundo estimativa do Ministério da Saúde, é que 253.097 crianças nesta faixa etária sejam imunizadas ou que se cumpram a meta estabelecida pelo órgão federal de 90% de cobertura vacinal para gripe e 95% para sarampo. As campanhas acontecem até o dia 03 de junho.

A coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis da Sesa, Danielle Grillo, reforça a importância da adesão da família e responsáveis neste momento.

“A vacina ajuda a reduzir complicações das doenças nos grupos mais vulneráveis. Para a Influenza, crianças, idosos, trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas, professores povos indígenas têm metas a serem alcançadas, justamente por serem grupos que precisam desse cuidado. Estamos no período sazonal de doenças respiratórias e se faz ainda mais importante a participação de todos”, disse.

A melhor cobertura até o momento para Influenza, mas ainda abaixo do ideal, é do grupo de idosos acima dos 60 anos, com 46,1%. Os trabalhadores da saúde, que iniciaram a imunização no mesmo período que os idosos, no dia 23 de março, somam 38,7%.

Para gestantes e puérperas, que iniciaram no dia 26 de abril, as coberturas são de 10,7% e 6,4%, respectivamente. E para povos indígenas e professores, grupos com metas vacinais que deram início no último dia 03 de maio, são de 8,9% e 2,3% respectivamente. Em relação ao Sarampo, apenas o grupo infantil há meta vacinal, não sendo válido para os trabalhadores da saúde.

“Outro aspecto importante, em relação ao Sarampo, é que ao alcançarmos as metas anualmente é um trabalho conjunto para recebermos a recertificação da doença no país, como tínhamos até 2019. Éramos um país livre da doença e as baixas coberturas vacinais impactam diretamente na circulação desse vírus altamente contagioso e que pode levar ao óbito”, ressaltou Danielle Grillo.

Estimativas de doses aplicadas não alcançam média ideal

O Espírito Santo antecipou as campanhas de Influenza e Sarampo em relação às datas definidas pelo Ministério da Saúde aos grupos com metas vacinais, entretanto mesmo com dias a mais no calendário, as estimativas de doses aplicadas seguem abaixo da média.

Para as crianças, prioritárias em ambas as campanhas, a média para alcançar ao menos 90% da cobertura vacinal seria 5.840 doses por dia. Atualmente são aplicadas cerca de 2.960 de Influenza e 2.690 de Sarampo por dia.

Para os idosos, a média ideal de 7.300 doses por dia para contemplar os 90% do grupo contrapõe à média de pouco mais de 5.470 doses aplicadas diariamente. Já as puérperas têm a menor média atual de aplicação, com cerca de 26 doses por dia, quando o ideal para contemplar a cobertura vacinal de 90% seria de aproximadamente 150 doses/dia.

PORTAL SBN | ASCOM