Cinco PMs são presos por tentar matar inspetor da Civil que os investigava

Cinco PMs são presos por tentar matar inspetor da Civil que os investigava
17 dezembro 12:44 2020 Imprimir notícia
Polícia

A Polícia Civil e o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), prenderam, na manhã desta quinta-feira, cinco PMs e um informante acusados de tentar matar o inspetor da Polícia Civil Bruno Rodrigo da Silva Rodrigues no dia 14 de abril, na Vila Valqueire, na Zona Oeste do Rio.

A ação, denominada "Todos Por Um", cumpre ainda 15 mandados de busca e apreensão. Com apoio da Corregedoria da PM, quatro batalhões passam por buscas desde as 6h: 7º BPM (São Gonçalo), Batalhão de Vias Especiais (BPVE), 15º BPM (Duque de Caxias) e 35º BPM (Itaboraí).

A PM informou que as armas dos policiais foram recolhidas, assim como celulares e outros pertences que possam fazer parte das investigações. Os militares serão ouvidos na Cidade da Polícia, em Maria da Graça. De acordo com eles, outros oito mandados de busca e apreensão expedidos também contra policiais militares foram cumpridos.

"O comando da Polícia Militar reforça seu compromisso com a transparência e sua intolerância diante de eventuais desvios de conduta por parte de entes da corporação, punindo, quando constatados os fatos, exemplarmente os envolvidos", diz nota enviada da PM.

Os seis envolvidos diretamente na tentativa de homicídio já foram denunciados pelo MPRJ e tiveram as prisões preventivas decretadas pela Justiça. São eles: os policiais militares Sergio Berbereia Basile, Mauro Simôes de Castro, Joamilton Tomaz Ribeiro, Euclydes José do Prado Filho e Fagner Alves da Silva, além de Sergio Leonardo dos Santos.

Os acusados planejaram o crime em represália à atuação investigativa do inspetor envolvendo condutas de PMs na área da 39ª DP (Pavuna), em especial na Feira da Pavuna e sobre o comércio de cigarros. A denúncia oferecida à Justiça imputa crime de homicídio qualificado tentado, associação criminosa e adulteração de identificação de veículo.

De acordo com a Justiça, na tarde do dia 14 de abril, em frente à residência da vítima, Sergio Basile e Mauro, também responsáveis pelo planejamento e operacionalização do crime, efetuaram mais de 20 tiros contra o inspetor Bruno Rodrigo, que sobreviveu ao ataque após conseguir se abrigar e reagir.

Segundo a denúncia, Joamilton participou do crime como motorista de um dos veículos utilizados no crime, no qual estavam os atiradores, fazendo vigilância do local e garantindo a fuga de todos. Da mesma forma, Sergio Leonardo e Euclydes monitoraram e vigiaram a vítima no dia da tentativa de homicídio, acompanhando-a, desde a saída do seu local de trabalho (39ª DP) até a sua residência. Já Fagner forneceu aos demais denunciados o outro veículo utilizado na emboscada, que tinha placa adulterada.

Todos os denunciados foram incursos no artigo 121, §2º, I, IV e VII c/c art. 14, II, ambos do Código Penal (homicídio, qualificado por motivo torpe, por meio de emboscada e contra policial civil , que prevê pena de 12 a 30 anos de reclusão e, ainda, por crime de associação armada - art. 288-A e crime de adulteração de sinal identificador de veículo automotor - art. 311 do CP.

PORTAL   SBN | COM INFORMAÇÕES DO O DIA 

Deixe seu comentário

SIGA-NOS

Rádio Online

Rádio Online

Últimas Notícias

  • Bahia
  • Espírito Santo

Bahia

Espírito Santo

As mais lidas do mês

SIGA-NOS

Rádio Online

Rádio Online

Últimas Notícias

  • Bahia
  • Espírito Santo

Bahia

Espírito Santo

As mais lidas do mês