Corpo de menino asfixiado na lama estava em brejo havia dias

Corpo de menino asfixiado na lama estava em brejo havia dias
29 julho 12:38 2020 Imprimir notícia
Polícia

A Polícia Civil criou uma força-tarefa com 20 policiais pra solucionar a morte do garoto Danilo de Sousa Silva, de 7 anos, em Goiânia. A corporação informou que já trabalha com uma pessoa considerada suspeita de matar a criança por afogamento na lama.

Na manhã desta quarta-feira (29/07), equipes de policiais estiveram no Parque Santa Rita - onde a vítima sumiu e teve corpo encontrado dias depois - realizando investigações.

A corporação também está ouvido várias pessoas que têm relação com o caso - parentes, possíveis testemunhas, entre outros. Os detalhes das investigações seguem sob sigilo.

Segundo registros da corporação, o menino sumiu no último dia 21 de julho, ao sair para ir à casa da avó. O corpo dele foi encontrado uma semana depois em uma região de brejo no mesmo setor em que vivia.

As apurações estão sendo conduzidas pela Delegacia de Investigações de Homicídios (DIH). A corporação quer esclarecer as circunstâncias da morte da criança e o que levou o autor a cometer o crime.

A perícia feita no corpo e no local que ele foi encontrado apontaram que Danilo foi asfixiado em lama, como explicou o gerente do Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia, o médico legista Mário Eduardo Cruz.

"A causa da morte a gente consegue precisar. Durante a necrópsia, nós encontramos presença de lama tanto na cavidade oral como na traqueia. Isso configura a mudança do meio respirável, então, asfixia por afogamento", explicou.

Os peritos notaram ainda sinais de violência no corpo da vítima. Segundo as investigações, há lesões que parecem ter sido causadas antes e após a morte da criança.

As investigações apuram ainda se o garoto foi vítima de abuso sexual. Ao ser questionada pelo G1 para saber se já havia alguma conclusão, a Polícia Técnico-Científica disse por meio de nota que os "resultados de Perícias Criminais e Médico-Legais não serão repassados" para preservar as investigações.

Também conforme a perícia, o corpo do menino estava no local há alguns dias - entre sete e dez.

Família

Tia do garoto, Yala Silva Almeida disse que a família está destruída com tudo o que aconteceu.

"Não temos ideia de quem foi, mas queremos justiça", afirmou.

A mãe e o padrasto da criança foram ouvidos duas vezes pela Polícia Civil e autuados por abandono de incapaz, então estão sendo responsabilizados pelo sumiço da criança que teria saído sozinha para ir à casa da avó antes de desaparecer.

Desaparecimento

Danilo sumiu no dia 21 de julho. Segundo o relato da família para a Polícia Civil, ele estava brincando na porta de casa quando entrou e disse à mãe que iria para a casa da avó, que mora uma rua acima. Porém, não foi mais visto depois disso.

A polícia chegou a divulgar imagens de câmeras de segurança que mostram uma criança pedindo comida em um restaurante. Apesar da semelhança, a mãe não reconheceu o menino da gravação como sendo o filho e a Polícia Civil concluiu que realmente não era Danilo que aparecia nas imagens.

No dia seguinte ao desaparecimento, o Corpo de Bombeiros iniciou as buscas pelo garoto.

De acordo com a corporação, o local em que o corpo estava era de difícil acesso e não havia sido explorado antes. Ainda segundo os bombeiros, apesar de ser uma área alagada, o corpo não estava submerso, foi encontrado fora da água.

PORTAL SBN | COM INFORMAÇÕES DA TV Anhanguera

Deixe seu comentário

SIGA-NOS

Rádio Online

Rádio Online

Últimas Notícias

  • Bahia
  • Espírito Santo

Bahia

Espírito Santo

As mais lidas do mês

SIGA-NOS

Rádio Online

Rádio Online

Últimas Notícias

  • Bahia
  • Espírito Santo

Bahia

Espírito Santo

As mais lidas do mês