Paraguai tem 6º dia de protestos por impeachment de Abdo Benítez

Paraguai tem 6º dia de protestos por impeachment de Abdo Benítez
09 março 09:08 2021 Imprimir notícia
Mundo

O 4º dia de protestos contra o governo de Mario Abdo Benítez no Paraguai terminou em confronto com a polícia nessa 2ª feira (8.mar.2021).

Manifestantes se reuniram em frente à sede do Partido Colorado, em Assunção, após várias horas de mobilização pacífica ao lado do Congresso. Sob gritos de “todos os dias, até que eles renunciem”, eles pediram que todos os integrantes do governo entreguem seus cargos.

Os protestos se estendem ao ex-presidente Horacio Cartes (2013-2018).

Vários participantes também direcionaram críticas à imprensa e entoaram gritos contra os principais grupos de mídia do país.

Os protestos contra o governo de Abdo Benítez começaram na 6ª feira (5.mar.2021) como demonstração de descontentamento com a gestão da pandemia.

No sábado (6.mar.2021), Benítez demitiu os ministros Eduardo Petta (Educação) e Nilda Romero (Mulher), além de seu chefe de gabinete, Ernesto Villamayor.

O ministro da Saúde do país, Julio Mazzoleni, renunciou ao cargo na noite de 6ª feira (5.mar.2021).

“Que renuncie Marinho!”

As acusações de má-gestão são dirigidas especificamente ao presidente Mario Abdo Benítez, que assumiu em agosto de 2018, e cujo mandato segue até 2023.

Nos primeiros dias de protesto, os manifestantes gritavam “Que renuncie Marinho”, “Ladrões na cadeia” e “Eleições já”.

Até 7 de março –exatamente 1 ano após o primeiro contágio pelo coronavírus no Paraguai– o país registrava 168.043 infectados e 3.318 mortes, de acordo com monitoramento da Universidade Johns Hopkins. O número é baixo se comparado com os de outros países da região, mas o Paraguai enfrenta risco de colapso no sistema de saúde.

O país tem pouco mais de 7 milhões de habitantes, e o sistema público de saúde tem apenas 304 leitos de terapia intensiva. Há outros 202 leitos de UTI em hospitais privados, mas a internação neles custa cerca de R$ 28.000 por dia se os pacientes não tiverem plano de saúde.

O IPS (sistema de saúde) enfrenta dificuldades desde muito antes da pandemia. O Paraguai também é um dos países com menos gastos sociais em toda a América Latina, abaixo somente da Guatemala e da República Dominicana.

PORTAL SBN

Deixe seu comentário

SIGA-NOS

Rádio Online

Rádio Online

Últimas Notícias

  • Bahia
  • Espírito Santo

Bahia

Espírito Santo

As mais lidas do mês

SIGA-NOS

Rádio Online

Rádio Online

Últimas Notícias

  • Bahia
  • Espírito Santo

Bahia

Espírito Santo

As mais lidas do mês